Green Paradise

Monday, December 11, 2006

Globalização Cultural:

Este trabalho foi feito para a aula de acónomia (por mim e pela Maria João), mas gostei dele, por isso decidi pô-lo aquí!

A globalização é um dos processos de integração económica, social, cultural e espacial dos países do mundo no fim do século XX. É um fenómeno observado na necessidade de formar uma “Aldeia Global” que permita maiores ganhos para os mercados internos já saturados.

As sociedades do mundo estão em processo de globalização desde o início da História. Mas o processo histórico que se denomina Globalização é bem mais recente (o próprio fim da Segunda Guerra Mundial, desencadeou uma necessidade de globalização).

As principais características da Globalização são a homogeneização dos centros urbanos, a expansão das corporações para regiões fora de seus núcleos geopolíticos, a revolução tecnológica nas comunicações e na electrónica, a reorganização geopolítica do mundo em blocos comerciais regionais, a hibridação entre culturas populares locais e uma cultura de massa supostamente "universal", entre outros. É exactamente desta ultima que vamos falar.

A globalização cultural é tomada como ideologia fundamental de um plano de instrução de formação, que resultará na configuração de um mundo integrado e organizado no modelo de um gigantesco “Estado-Nação”. Essa visão é polémica internacionalmente, pode não ser apenas boa. Não se pode transformar o mundo sem ver o desenvolvimento da informática, robótica, comunicações por satélite, Internet e modernos meios de transporte. O clima de euforia flúi como no século XIX, com as maravilhas inventadas nessa época. É natural que esse mundo transformado pela internacionalização, aflora a excitação da comunidade integrada em relação a este tema. Uma das características importantes do que se entende hoje por cultura global é exactamente a maior visibilidade de manifestações étnicas, regionalistas ou vindas de sociedades excluídas. Talvez as nações ocidentais nunca se habituem à ideia de viver com diferentes culras dentro do seu mesmo país. As “Terceiras Culturas” são um conjunto de práticas, conhecimentos, convenções e estilos de vida que desenvolvem de modo a se tornar cada vez mais independentes dos “Estados-Nação”. Formam-se em diversas áreas e colocam em conflito ideias em que as vítimas periféricas têm apenas duas alternativas: deixar-se subjugar ou erguer forças para evitar sua incorporação à modernidade ocidental. Encontra-se em decurso uma nova etapa da internacionalização. Não há dúvida de que o mundo é cada vez mais percebido como um lugar, não há dúvida que as culturas nacionais geram uma cultura global, em que os indivíduos dos quatros cantos do planeta podem se reconhecer, não há dúvida de que essa cultura global surge da intensificação dos contactos entre povos e civilizações vinculados à expansão económica e técnica, mas ainda há um grande caminho a percorrer para podermos segura (e correctamente) falar em Globalização Cultural, enquanto houver intolerância e incompreensão.

Este texto foi adaptado de dois sites:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Globaliza%C3%A7%C3%A3o

http://www.admpga.hpg.ig.com.br/page14.html

2 Comments:

At 3:34 PM, Blogger Sunshine said...

Guess who? Yeap, that's me... in English as usual, and with no spelling errors (I think!), so unlike you... You must learn to use the dictionary tool...
Anyway, spelling errors apart, your green paradise is cute, not cute, crazy, confusing, confused, definitely you, I liked it. I even created a blog so I could comment on it. Keep on reading (the dictionary too, pleeease!)hugs & kisses

 
At 12:44 PM, Blogger Carina O.o said...

Obrigada por trabalho, deu geito pro trabalho que tenho de fazer.

 

Post a Comment

<< Home